Liberdade?

Liberdade ou libertinagem e nossos heróis

Com o convívio com meus netos, netas e alunos percebo como tem mudado os conceitos de liberdade e libertinagem, assim com os heróis da minha época com os deles.

Liberdade: Poder de agir livremente, dentro de uma sociedade organizada, de acordo com os limites impostos pela lei.

https://michaelis.uol.com.br/moderno-portugues/busca/portugues-brasileiro/liberdade/

Libertinagem: Depravação de costumes.

https://michaelis.uol.com.br/moderno-portugues/busca/portugues-brasileiro/libertinagem/

Herói: Indivíduo por quem se tem enorme admiração; ídolo.

https://michaelis.uol.com.br/moderno-portugues/busca/portugues-brasileiro/her%C3%B3i/

         Meus pais, meus professores sempre me ensinaram a tomar muito cuidado com a diferença entre ser livre ou ser um libertino. Dessa maneira sempre foi muito importante para mim escolher meus heróis entre aqueles que ensinavam e viviam de acordo com o conceito da verdadeira liberdade. Somente para enumerar alguns na minha infância: Gandhi (exemplo de vida), Julio Verne (exemplo de imaginação), Sandokan (exemplo de aventura de ficção). Na minha adolescência: Gandhi, Beatles (contracultura), Spielberg. Depois, mais maduro, Mandela, Leonardo da Vinci, Beethoven.

         Hoje, vejo que a geração dos meus netos são produto de uma sociedade totalmente diferente, na qual a linha que separa a liberdade da libertinagem é muito ténue, quase imperceptível. São ensinados que tudo é permitido e aquele que traça um limite é um opressor. E os heróis deles são: Pablo Vittar, Felipe Neto e qualquer mídia influencer ou youtuber de moda. Estes pseudo-heróis ensinam que o importante é a “liberdade” de que tudo está permitido.

         Quando nasci a população global chegava a 2,5 bilhões de pessoas, agora estamos perto dos 8 bilhões. Caso o ser humano não comece a ter noções de limite na liberdade individual, e não aprenda que a liberdade individual está atrelada e limitada pelo conceito de uma sociedade de membros livres que vivem em harmonia, o conceito de civilização como a que conhecemos está destinada a implodir.

         Acredito que meu médico de cabeceira estava certo quando dizia que se uma criança de três anos não tinha aprendido a diferença entre o “sim” e o “não”, ou entre o “pode” e “não pode”, sofreria para viver em sociedade. Os pais são os principais responsáveis para ensinar aos seus filhos estes limites, assim como para ensinar a respeitar aos mais velhos e aos professores. Quem sabe, se voltarmos aos valores que os dicionários nos ensinam com o verdadeiro significado das palavras possamos construir uma sociedade muito mais estável que a atual. Oremos!

Até a próxima.

4 Comments

  1. Mesquita said:

    Caro Professor Ricardo, liberdade e libertinagem, eis a questão para os que geram filhos nos dias de hoje, se constituindo em fases de alegria ou de muita preocupação e aborrecimentos, tudo dependendo do grau de atenção e educação dos pais na formação dos filhos nos dias atuais. Pelo que estamos vendo e assistindo, com tantos maus exemplos, não é nada fácil. Enquanto eles sempre andarem na companhia dos pais é uma maravilha, mas quando começarem a andar sozinhos, e os pais não sabendo com quem saem, aonde vão e o que estão fazendo esses pais não terão mais sossego, e a mãe que é mãe não terá mais uma noite de sono tranqüilo. Essa é a mais pura realidade. Forte abraço, Mesquita.

    22 de julho de 2020
    Reply
    • Caro amigo: Hoje em dia as mães e pais estão tão preocupados com a sobrevivência que muitas vezes vemos
      crianças de doze, treze anos (a vezes menos) enfrentando o mundo guiados somente pelas informações que
      recebem da Internet e as mídias sociais. Triste destino e pobre informação que os leva lentamente para
      o precipício da ignorância e a falta de senso crítico.
      Um abraço.
      Ricardo

      23 de julho de 2020
      Reply
  2. Carlos said:

    … Si Profe… pienso como Ud. pero lamentablemente … pero como Nos indica la realidad….estamos pasando por un momento de mucha incertidumbre. .. donde la Libertad… tal cual , como entendemos y Ud. muy buen define… muchas veces … no existe… somos presos de nuestros propios errores… ( personales y como sociedad )

    21 de julho de 2020
    Reply
    • El problema Carlitos es que libertad no se puede confundir con lbertinaje y es eso lo que está pasando. Comienza
      por la falta de límites que los padres colocan a sus hijos, que cuando llegan al colegio, la institución y los profesores
      tienen miedo de los alumnos y la sociedad cada día más permisiva y llena de impunidad. Recemos para que podamos algún
      día volver a tener valores.
      Abrazos

      21 de julho de 2020
      Reply

Deixe uma resposta para Mesquita Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.