Fantasia Versus Realidade

Este ano faço 70 anos de idade e uma das coisas que tenho aprendido (pelo menos assim acredito) é diferenciar o que é expressão de desejo do que é um fato. Olhando o que acontece à nossa volta podemos observar alguns fatos que contestam desejos manifestados.

Quando ouvimos falar as nossas autoridades sobre segurança vemos que algumas até são bem intencionadas, mas fica evidente que são incapazes de combater o crime na nossa sociedade. Desejo: oferecer segurança; fato: os criminosos controlam até os presídios, podemos imaginar então quanto poder eles têm nas ruas.

Nas entrevistas dos responsáveis pela saúde de nossa população, fica evidente o desespero de alguns, a indiferença de outros, mas eles têm em comum a ignorância total de quais são as soluções. Desejo: fornecer atendimento médico para cada um dos cidadãos; fato: falência total do sistema de saúde.

Podemos falar de vários temas e em todos eles observaremos a mesma dicotomia entre desejo e fatos. Muitos de nossos políticos quando se olham no espelho vem à imagem do que gostariam de ter sido, e os fatos mostram o que eles realmente são.

Hoje eu quero falar de um tema que conheço um pouco, educação. Aqui começa a ilusão: Faz de conta que aprende que faço de conta que te ensino. Um sistema educacional que permite que um aluno passe de ano com nota 5 está ensinando que ser um profissional nota 5 é correto. Todos os problemas da sociedade partem deste princípio que molda a percepção dos alunos que ser medíocre é suficiente. Tenho certeza, que caso seja feita uma medição do QI dos alunos e sua capacidade de aproveitar esse QI nos afazeres do dia a dia, quando ingressa no sistema educacional de nosso país, e outra medição quando egressa nos mostraria um declínio relevante assim como uma padronização para baixo das habilidades de nossos alunos. O sistema atual depende da criatividade e motivação dos professores, da vontade de aprender e apetite de saber dos alunos junto com o encontro eventual destas duas situações, para produzir alunos devidamente capacitados. A realidade mostra que cada dia há menos professores e alunos com estas características. Resultado final na fantasia da educação é que cada dia temos mais mediocridade na nossa sociedade. Falando do ensino do português, cada dia se ensina menos a neutralidade e o subjuntivo, conclusão quando alguém se expressa num português correto é motivo de chacota. Vocabulário nem falar, pouca leitura, poucos sinônimos provocam pobres redações. Esperemos que nunca os caixas percam os sistemas de informática que fazem automaticamente as contas, deixem de funcionar, caso isto aconteça teriam que fechar, pois fazer contas de cabeça é história de carrocinha para as novas gerações.

Educação é resultado de uma equação muito simples, professores capacitados e motivados + alunos curiosos e interessados + sistema que exija o pleno potencial de ambas as partes = educação de primeiro mundo. Isso vai produzir pais mais capazes de compreender a importância de uma boa educação, que inclui autodisciplina, o que fará que as crianças cheguem às escolas sabendo a diferença entre o sim e o não.

Boa semana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *