O papel da escola

É preocupante o futuro da educação. O ensino sempre esteve a serviço de interesses escusos e nunca teve o papel de formar seres humanos, com os conhecimentos necessários, para adquirir um espírito crítico. Talvez nos primórdios da educação com o discipulado, na época de Aristóteles e Sócrates. Quiçá até antes. Tivemos a época do enciclopedismo, ao qual, de certa maneira, temos retornado com a internet. Temos ao alcance de um toque a totalidade da informação existente. Depois da industrialização foram criadas as escolas de formação de mão de obra com os conhecimentos de interesse dos grandes produtores.
Cada lar é uma pequena amostra de uma sociedade. Cada um tem sua própria cultura familiar. No colégio se produz o amálgama das diversidades para formar a cultura da sociedade maior, através da convivência das crianças. Acredito que uma das principais funções da escola é justamente ordenar e adicionar nessa mistura cultural os ingredientes do conhecimento, o bom senso, a noção do justo e injusto assim como as virtudes de um bom cidadão e vizinho.
Os professores não são importantes simplesmente pelo que sabem, mas principalmente como exemplos de conduta e aplicação dos saberes que possuem. Assim como não acredito no pai e mãe amigos, até que cheguem a serem adultos, tampouco penso que seja saudável a relação de amizade nos anos escolares entre educador e aluno, enquanto este último frequente a escola. Meus filhos são todos adultos, com alguns deles tenho conseguido construir uma boa amizade, além da relação pai/filho; com outros nem tanto. O mesmo acontece com meus ex-alunos, com alguns deles mantenho relações e sei de seus progressos na vida adulta, outros nem me cumprimentam quando nos cruzamos nas ruas da vida. Faz parte do show como Cazuza muito bem coloca na sua música.
Lembro de meus anos de estudos secundários. O que restou deles? Principalmente a consciência que fazemos parte de um todo, e que até hoje levamos esse sentimento de união, de pertencer a um mesmo grupo com uma identidade muito similar. Semanalmente tenho notícias de algum de meus companheiros dessa época. Com certeza tenho desfrutado e tem sido de maior utilidade na minha vida esse sentimento de fazer parte de algo maior, do que todos os conhecimentos que recebi de meus excelentes professores, dos quais ficaram o exemplo e os valores. Os conhecimentos os aproveito quase sempre, mas o sentimento de grupo é constante.
Meu medo é que a educação do futuro elimine essa convivência lúdica e isole os jovens atrás de telas com informações e conversações sem o toque humano. Pode ser que até existam seres humanos do outro lado, mas serão as máquinas que estarão transmitindo os conhecimentos e formando os seres humanos. Os seres humanos são gregários por natureza e isso se solidifica no convívio das escolas. Nesse convívio é que aprendemos ética e solidariedade. Não sei como aprenderemos esses valores com as máquinas.

Boa semana.

6 Comments

  1. Pá,
    É uma nova geração mesmo, temos que de alguma forma tentar passar este valores e este conceitos adiante. Eu trabalho com tecnologia e ensino a distância, e sei, que no fundo nem tudo será substituído pela máquina. As máquinas serão apoiadoras (ou deveriam) de trabalhos repetitivos. As pessoas fazem e sempre farão a diferença.
    beijos Te amo !

  2. Prof. Ricardo, chocante estes seus relatos. É realmente preocupante já nos dias atuais e principalmente quando somos levados a uma análise de futuro, o que será do ensino já na próxima década. O uso das máquinas certamente será cada vez mais incrementado, se observarmos que hoje já temos veículos leves e pesados trafegando sem motorista e com o máximo de segurança!. Já existem cirurgias robóticas invasivas proporcionando segurança, rapidez no procedimento e restabelecimento do paciente. Não esquecermos da impressora 3D que pode produzir objetos de diversos tamanhos e formas. Depois da Airbike, a bicicleta feita de nylon, chegou a vez de criar nada mais, nada menos que um carro usando a tecnologia. O veículo foi apresentado na mostra internacional Manufactoring Technology Show, em setembro de 2014, e teve seu test drive feito por jornalistas americanos nas ruas de Nova York. O mais inusitado é que o carro pode ser derretido para dar forma a um novo. Simplesmente imprevisível o que pensarmos de tantas outras coisas e situações daqui para frente. É ora das escolas juntas com a categoria dos professores estarem mais unidos para começarem a pensar e planejar desde logo nas decisões e alternativas para esse futuro, pois o tempo urge…

    1. Os professores mal têm tempo para preparar suas aulas porque trabalham muitas horas para conseguir ganhar um dinheiro que lhes de um pouco de dignidade. Até que não mude a forma que os professores são tratados pela sociedade, nada mudará.
      Abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *